Empresa contesta pesquisa

No mês passado, um vazamento de resíduos químicos provenientes do refinamento de bauxita pela empresa Alunorte, instalada em Barcarena-PA, contaminou  mais uma vez o rio Murucupi.  O resultado foi o aumento de mortandande da fauna aquática e  a tranformação da água em um líquido avermelhado.

O recém-publicado laudo do Instituto Evandro Chagas sobre a contaminação é contundente: “Afetou o meio ambiente de forma significativa. Os riscos existem para todos os seres vivos que têm relação com o rio, incluindo o homem”. Mas,  mais uma vez, a resposta contestadora da empresa é construída sobre uma deslizante redação de relações públicas: “as operações de beneficiamento da bauxita da Alunorte estão rigorosamente dentro dos padrões estabelecidos pela legislação ambiental (…) o acidente foi provocado por um fenômeno da natureza”.

Uso o discurso da empresa para perguntar: isso acontece porque   “a  obsessão pela preservação do meio ambiente é um dos valores da Alunorte”? ou   são seus  “Pequenos e grandes gestos que fazem de Barcarena um lugar melhor para se viver.”?

Quantas repetições de acidentes e laudos serão necessários para que os órgãos fiscalizadores tomem providências que protejam a comunidade?

=>Veja no  Quinta Emenda e no VioMundo mais sobre o laudo dos pesquisadores  e a resposta da Alunorte. E veja no Pérolas das assessorias, pérolas de outras assessorias.

6 respostas para Empresa contesta pesquisa

  1. […] Leggi l’articolo completo… Category: ambiente | | « Biciclette: giro di boa per gli incentivi Dal Messaggero del 13 maggio 2009 » […]

  2. manoellamariano disse:

    Erin Brockovich!

  3. Juca disse:

    O editor chefe do Quinta Emenda, inarredável fã e amigo, agradece a menção.
    Bjs

  4. Cássia disse:

    Ale! Não era um quiz é deveras engraçado!

    Ontem, lembrei de você mais uma vez, conversando com o Sergio Rocio – jornalista capixaba, que se dedica atualmente a um livro sobre a história política capixaba.
    Lá pelas tantas, nos vimos pensativos, com relação ao papel do jornalista…
    Adorei a síntese dele: “O jornalista, antes de tudo é um crítico.”

    Com relação ao meio ambiente, por mais que as industrias queiram controlar os males causados pelo chamado progresso, vez por outra ocorrem mesmo alguns acidentes…
    Cito isso de forma geral.
    E, consternada, é claro!

    A brincadeira que corre entre nós engenheiros, é a de que, finalmente as árvores entorno das siderurgias vão ter de novo folhas verdes.
    É outono, época de renovação…
    E, as usinas estão quase paradas, por conta da crise.
    Alegria de um lado, tristeza de outro.
    Porque o emprego de quem trabalha nas usinas corre perigo!

    Afe! Que mundo insano!
    tsc
    tsc
    tsc

  5. Hermes disse:

    E parece-me que Copenhague não funcionou…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: