Paralelo aos 200 anos de Darwin

adao16022009

“É espantoso quando a “sabedoria madura” parece estar cansada demais”, anotou Lazarus Long em seu caderno. Dizem que as pessoas vão ficando velhas e mais sábias. Ou que cristalizam pormenores. Acredito e tento ver os avanços em mim e  nos outros. Mas há gente que continua agindo da mesma maneira cabeçuda sempre. Algumas espécies de gente desse tipo:

-Há pessoas que casam ou começam a namorar e desaparecem da face da terra. E só reaparecem quando o namoro acaba ou o casamento entra em crise.

-Há quem mergulhe no trabalho, passe madrugadas fazendo tarefas, entregando-se exageradamente à empresa e esqueça o resto do mundo. Um dia, o telefone toca e é a criatura dizendo que está com estafa, doente ou foi demitida.

-Há os paranóicos que sempre encontram alguém no novo trabalho que deseja “puxar o tapete” deles.
-E há muitos outros, mas os mais lamentáveis são aqueles que, assumindo uma posição “melhor”, acreditam que são fantátiscos e que todos  devem render homenagem a eles.

Quando um amigo seu se transforma nessa última espécie, você fica assustado? Eu fiquei. Mas deixei-os entregues à autofagia.

As pessoas mudam com a maturidade, nem sempre evoluem. Mas há os que se aperfeiçoam em suas boas habilidades de ser humano e isso deixa o ambiente mais habitável.