uma lista de outros mundos

26/09/2007

Se você tem curiosidade de conhecer novos mundos, mas só tinha ouvido falar no “Second Life”, não pode perder o levantamento de mais de 30 mundinhos virtuais organizado e comentado pelo Gilberto Pavoni Jr – no Techboogie. É garantia de um fim de semana de clics. Clica aqui p/ ver a lista.


ânimo p/ reuniões chatas

24/09/2007

The Flaming Lips – Do You Realize??

[via FoxyTunes / The Flaming Lips]


Lições do papagaio

17/09/2007

Neste fim de semana entendi um pouco o porquê da importância científica do recém-falecido papagaio Alex. Resgatei uma matéria da revista Mente e Cérebro (abril) sobre experiências com papagaios e fiquei muito surpresa com o aprendizado que o bichinho desenvolveu durante os seus 30 anos de vida. É sério, a história dele me deixou feliz só de saber que é possível ensinar coisas humanas até para animais de cérebro pequeno.

Dois fatos inusitados me chamaram a atenção. Ele conseguiu “formular” uma pergunta, provavelmente, porque já havia enchido a paciência de só responder coisas: Certa vez, ao se olhar no espelho, ele perguntou “Qual cor?” – frase que ele ouvia sempre nas aulas sobre cores e formas de objetos. A pesquisadora que o explorava, em estado de graça, respondeu: “Cinza! Alex, você é um papagaio cinza!”. Ele tinha aprendido várias cores, mas o cinza era a primeira vez que ouvia.

A outra história se deu quando ele se recusou a repetir uma palavra e criou uma nova: Já havia aprendido a reconhecer banana e cereja. Um dia comeu uma maçã e ao ser perguntado sobre aquilo, respondeu: “baneja”. Corrigiram-no. Mas ele nunca falou “maçã”, apenas “baneja”. Achei criativo e rebelde!(para as hipóteses sobre este fato, leia a matéria da revista)

Viajei nas histórias do Alex. Pensei que ter se olhado no espelho e feito uma pergunta sobre sua imagem refletida foi um ato bem mais avançado que muitos humanos adultos, que têm certeza do que vêem. 😉


HQ-vingança musical

02/09/2007

Alguns colegas de trabalho – sem imaginação…rs- espalham por aí, há uns 2 anos, que eu sou prima da Xoelma do grupo paraense Calypso. Eles acham que no Pará todo mundo é vizinho, sabe? Essa pantomima já me rendeu até pedidos de autógrafos e fotos da suposta prima famosa. Já me diverti muito alimentando essa lenda, é verdade, mas agora enchi o saco. Ela nasceu no leste, e eu, no oeste do Pará; não gosto nem do ritmo calipso, nem de cantoras louras, sem voz, que fazem dancinhas com botinhas brancas. Pronto! E por causa disso, não pude ignorar os quadrinhos abaixo! Show! Amei a idéia do desenhista. haha!calipso.jpg