Dicas de leitura sobre cibercultura e afins

29/08/2008

Para os estudantes que passam por aqui em busca das tagstecnologia“, “cibercultura” e “mundo online“, deixo uma dica ótima! O prof. Alex Primo criou um blog com listas de obras dessa temática. O nome do blog é autoexplicativo -> Bibliografia de cibercultura. <- Cliquem e aproveite.

Anúncios

Susto no supermercado

18/08/2008

Fiquei chocada ao ver o camapu (foto) na prateleira de frutas exóticas em um supermercado de Vitória-ES. E daí? Acontece que isso era mato, quando o conheci em Santarém-PA há mais de 20 anos! E, no supermercado, o status da frutinha é o oposto. Chama-se Physalis (nome científico) e é vendido a 100 reais o kilo.  Googleei e descobri que é bem usado em pratos finos e na pesquisa de antinflamatórios. Jamais imaginei!

Eu supervalorizei esse reencontro, porque entrei numas viagens “filosóficas” depois dele – como “um universo numa casca de noz”! Fiz várias relações com temas diferentes, mas deixo para outros posts.

E sobre o camapu, em si, não sinto nada de especial no sabor. Eu prefiro o cupuaçu.


Punk-pop-cigano performático

09/08/2008

Li por estes dias que o Gogol Bordello vai fazer show com a Madonna, em SP. Não conhecia, mas fiquei interessada pela descrição:  punk-cigano-performático. Achei no Youtube uns vídeos hilariantes como o abaixo. Eles também vão estar no TIM Festival e isso já é uma boa notícia (desde que toquem no RJ).


Flying saucers

03/08/2008

Uma das leituras de férias foi o “-sse”, livro de contos de Erly Vieira Jr, colega capixaba cheio de talentos. Vários textos possuem semelhanças com situações que vivi. Mas uma passagem do texto “Vez por outra” me fez lembrar de uma época aterrorizantemente sensacional da minha infância no Pará:

“[…] de London, London só decorei o refrão. Achava linda a expressão flying saucers. Mas morria de medo quanto tinha reportagem no Fantástico sobre extraterrestres, caso Roswell, meteoro da União Anestésica. Vez por outra saía correndo da sala e me escondia debaixo do edredom até o programa terminar. Tremicerrado, lábios crispados”.

Eu também gosto do som de “flying saucers”. Mas também tinha um medo danado de ETs. Ao ler o trecho, recordei do final da década de 70, quando eu tinha menos de 10 anos e ouvi falar pela primeira vez nos discos voadores de Colares-PA.  Eu morava em Santarém, bem longe de Colares, mas por lá também se falava do fenômeno chupa-chupa (que era como a população chamava). Contavam os ribeirinhos  que um “aparelho voador” aparecia e jogava neles uma luz forte que os deixava fracos e doentes. Gente, eu passava noites imaginando que uma hora aquilo ia acontecer comigo, que eu ia ser sugada pelo telhado da minha casa.Toda noite era a mesma coisa, o mesmo medo. O bicho-papão da minha infância era um ET vestido de branco…

Depois, na adolescência, o medo se transformou em interesse, comprei livros, guardava recortes de revistas. Mais tarde, morando em Belém-PA, soube que esse momento da história paraense foi marcante para o estudo dos UFOS no Brasil.  A investigação oficial foi chamada de Operação Prato pela Força Aérea Brasileira. Tudo é um grande mistério até hoje.

No YouTube há dois videodocumentários sobre o assunto:

1- Operação Prato (o caso Roswell brasileiro)- exibido pelo History Channel.

2- Chupa-chupa: a história que veio do céu – exibido pela série DOC TV – da TV Cultura.

Hoje não tenho tanto medo de ETS (rs), nem coleciono informações, mas ainda me interesso por algum caso novo. Curiosidade apenas.