O que é o Twitter para a inteligência dos EUA

27/10/2008

A notícia esdrúxula desta manhã de segunda-feira é: Twitter é potencial arma para terroristas, diz Exército dos EUA

De onde destaco o trecho muito didático:

“O Twitter também se tornou uma ferramenta de ativismo social para socialistas, grupos de direitos humanos, comunistas, vegetarianos, anarquistas, comunidades religiosas, ateus, entusiastas políticos, hacktivistas (contração das palavras “hacker” e “ativista”) e outros, para se comunicar e mandar mensagens para grandes audiências”.

A lógica desse conjunto de grupos apresentado pelo documento do Exército lembrou-me uma certa enciclopédia chinesa – citada por Jorge Luis Borges – que classifica as espécies de animais assim:

“a) pertencentes ao imperador, b) embalsamados, c) domesticados, d) leitões, e) sereias, f) fabulosos, g) cães em liberdade, h) incluídos na presente classificação, i) que se agitam como loucos, j) inumeráveis, k) desenhados com um pincel muito fino de pêlo de camelo, l) et cetera, m) que acabam de quebrar a bilha, n) que de longe parecem moscas” (Borges em Outras Inquisições)

Ou seja, uma lógica muito particular.

Anúncios