Anti-campanha

13/05/2009
SOS Mata Atlântica

SOS Mata Atlântica

A campanha do xixi durante o banho é uma ideia tosca,  feita para ser falada de qualquer jeito. E é um sucesso, nesse ponto, porque muita gente está comentando sobre o tema. A produção das peças é bem feita, bonitinha, com desenhos  e animações. Mas, como proposta de mudança de hábito, é uma tolice.

Se 75%  urinam no banho, como diz o site, então a ONG chove no molhado ao lançar a mobilização com esse mote.  Tudo bem, não é só isso, pois a campanha aponta outras ações que contribuem para a preservação do meio ambiente.  Mas uma outra recomendação estranha (ou irônica) é a que diz para lavar verduras no banho.  Alguém já tentou isso?

O mais engraçado é  o povo dizer que acha super legal a iniciativa, e que a família toda já “mirava no ralo” 😀  Não é interessante como as pessoas falam “coisas” apoiadas em uma campanha?

Não é nojinho meu, ora,  quem quiser urinar no seu banheiro, que o faça. Eu penso no quanto aumentaria o uso de de detergentes, desinfetantes e de água para lavar o banheiro.  Sim, porque também é preciso aumentar a frequência da faxina…

Enfim, campanha fofa,  dinheiro mal empregado.

Anúncios

Uma novidade com mais de 20 anos

09/04/2008

Uma notícia de hoje no portal G1Tecnologia/lançamento – conta que uma linda bonequinha bebê-que- gatinha vai ser lançada em julho no Japão. Das duas uma: o(a) jornalista tem 20 anos de idade; ou está fazendo merchandising. Falta de notícia para esta editoria não é mesmo. No início da década de 1980, tive uma bonequinha dessas. Fabricada pela Estrela, era movida à corda e cabia na palma da mão também. Clique nos links e compare as novidades.

UPDATE: o G1 consertou a matéria e colocou a informação de que a bonequinha é retrô. Eu li a matéria às 7 da manhã. E ela foi atualizada agora às 15: 33, como vcs podem conferir no link do site jornalístico.


Qual será o produto do momento?

17/10/2007

O natural hoje é falar da “morte de tendências”, como tenho visto nos blogs que falam sobre vestuário e moda. Dizem que não é mais possível definir padrões de produtos que vão agradar determinados segmentos. Na contramão, encontrei a matéria da revista portuguesa “Máxima”, que conta “como nasce uma tendência”. Recomendo a leitura, mesmo que você nunca tenha se interessado pelo tema (calma que não fala só de roupas e sapatos). É uma matéria bem boa e de leitura fácil. Apresenta-nos alguns cool hunters famosos e suas formas de trabalhar; além de um pequeno glossário com palavras usadas neste universo.

Desde que li o livro “Reconhecimento de Padrões”, de William Gibson, em que a personagem principal, Cayce Pollard, viaja pelo mundo, pesquisando “tendências”, passei a alimentar uma curiosidade (plena) pelo trabalho de coolhunting e de como se pode “desenhar” o futuro do que vamos ver ou desejar. Acho empolgante entender como funciona esta geringonça do mercado nos tempos líquidos!


+ bizarrice na propaganda

21/03/2007

Muito de mau gosto a campanha da Diesel com o tema o aquecimento global. Diz que a marca está preparada para as mudanças climáticas.

diesel3.jpg
Concordo com os que já falaram por aí que é uma forma nada criativa de chamar atenção pra se vender roupas. Aliás, Marcelo Leite é implacável nerd; apontou até absurdos da propaganda, como no caso da cena acima: o mar nunca chegará a este ponto sem que o ser humano tenha sido extinto. Mas… é verdade que a publicidade não está muito preocupada com a coerência de discurso, quando o objetivo é despertar desejos; é verdade… Apesar disso, achei sem-noção a campanha mesmo!… aliás, a bizarrice já aparece nos preços de “simples” jeans (me disseram que um “básico” custa cerca de 700 reais).

Para ver as outras imagens da campanha, vai no site da marca.

O tema é recorrente porque Vitória está um forno desde o fim do ano passado. Impossível esquecer o calor!