Tantas coisas miúdas – II

A gente sabe que não é de hoje que muitas pessoas sonham com minutinhos de fama. Há aqueles capazes de fazer qualquer coisa para aparecer. É  claro que a internet facilitou demais a vida dos aspirantes ao “sucesso”. Primeiro foram os blogs, depois os fotologs e o you tube. O palco mais recente é o twitter. Tem gente que usa para adquirir “admiradores”. Eu, assim como muitas outras pessoas, uso para buscar informações “direto” de fontes boas de pesquisa sobre vários assuntos.

Esses dias,  por exemplo, ocorreu uma papagaiada de um trio de atores/cantores/apresentadores, que implorou ao ator Ashton Kutcher (marido fofo da Demi Moore e celebridade do twitter) que participasse do movimento #forasarney para o bem do Brasil. Disseram que era importante que alguém como ele se aliasse à causa. E este moço lembrou-lhes de quem é a responsabilidade de fazer este tipo de manifestação. Mais sobre essa história aqui.

Sempre digo que sou observadora das conversações nas redes sociais da web. E  vejo como tem gente que se desintegra ao sabor de suas próprias palavras! É de pasmar. Eu me reservo o direito de não opiniar sobre tudo. E acredito que as pessoas deviam refletir  mais antes de registrar nos fóruns ou blogs ou twitter qualquer coisa só pra dizer que “pensam” ou são espertas..rs.

Lembrei-me desta fábula de Esopo, que é adequada aos “cheios de atitude”: Um corvo roubou um pedaço de carne e foi para o alto de uma árvore. Uma raposa, ao vê-lo, logo quis se apossar do pedaço de carne. Ao pé da árvore, pôs-se a louvar a beleza e a graça do corvo:

– Quem, além de ti, pode ser o rei dos animais? Bastava que tivesse voz.

O corvo, querendo mostrar que não era mudo, deixou cair o pedaço de carne e começou a emitir ruídos. A raposa abocanhou a carne e disse:

– Ora, senhor corvo, se também fosses inteligente, não faltaria nada para seres o rei dos animais.

—-

Obs: Análises acadêmicas muito oportunas  sobre o twitter têm sido feitas com propriedade pela profa. Raquel Recuero.

8 respostas para Tantas coisas miúdas – II

  1. Cássia disse:

    Tô rindo ainda, com essa fábula.
    Bem apropriada.

    Não consigo lidar com essas redes sociais, minha flor!
    Eu as vejo e nem chego a adentrar…
    Quando as vejo nos blogs amigos, fico curiosa, leio e até acompanho vocês, mas, que parecem pássaros aos bandos, parecem sim!😉

    • Cásia, sou adepta das mídias sociais. Mas às vezes, a gente se cansa dos atabalhoados, que aparecem em tudo que é canto e acabam atravancando os ambientes! rsrs. E isso acontece em todos os lugares, como vc pode observar nos comments dos blogs famosos que vc visita, e nos bares da vida, no trabalho etc.😉

  2. Olá Alessandra !

    Somos da Assessoria de imprensa da campanha fotográfica África em Nós, criada pela Secretaria da Cultura de São Paulo, com a curadoria do fotógrafo Walter Firmo.

    Gostaríamos de enviar à você nossa matéria da campanha, caso seja interessante para seu blog, ressaltando que é um blog muito bem elaborado, parabéns pelo karapana.

    Ficamos agradecidos retornando este email para nós.

    Desde já, nosso muito obrigado.

    Assessoria África em Nós | http://www.africaemnos.com.br

  3. Wolf disse:

    Lembrar que esse, em geral, esse tipo de comportamento parece ser do ser humano, dentro e fora das ferramentas de redes sociais.

    Ah, bela fábula, haha. Pequeno corvo azul? rs

  4. Marco disse:

    Toda hora tem gente me chamando parar esse negócio aí do T. Também, para outro negócio: Hi5 – se não me engano, é isso. Me nego peremptóriamente a participar. Tenho mail… Me basta. Mas vai que dia desses, conferindo minhas mensagens, o computador apita. Levei um susto. Descobri então, que no yahoo agora tem um negócio de falar em tempo real. Que as pessoas que estiverem lá no Y sabem se estou conectado ou não. Achei o fim do mundo. Invasão de privacidade da braba. Que bosta é essa? Agora até quando estou no computador conferindo meus interesses tem gente em espiação. Só me falta em seguida, estar no banheiro folhando uma revista que ocupe o tempo de uma cagada e alguma coisa apitar também.
    Ora, pois….

  5. Lacy disse:

    Quando eu era criança, recitava essa fábula com meu irmão trocando as sílabas. Ficava mais ou menos assim:
    Andesta na florando, um enaco macorme avistorvo um cou com um beço pedalo de quico no beijo.
    – Ver comou aqueijo quele ou não me chaco macamo – vangloriaco o macou de sara pigo com si. E berrouvo para o cou:
    – Oládre compá. Vocá estê bonoje ito. Loso, maravilhindo. E por aí a fora…
    Moral da história: jamie confais em pacos suxa!!!

  6. Hermes disse:

    É a evasão de privacidade…por isso: Hermes e Roberta.2005 são meus filhos queridos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: