eu também quero ser John Malkovich

Quando eu escrevi meu último post, Mr. Keen ainda não tinha virado coca-cola de jornal e revista no Brasil. Depois que a Folha publicou a entrevista, o homem foi citado em outros veículos.

Nesse meio-tempo, o jornal O Estado de São Paulo lança uma campanha pretensiosa a seu favor, mas besta e preconceituosa contra blogueiros. É a “grande mídia” metendo os pés pelas mãos – sem noção.

Hoje o UOL notícias republica uma matéria da Prospect Magazine, cujo tema principal é o pensamento de Andrew Keen contra a web 2.0. O autor do texto critica as idéias de Keen, apresentando-as como fracas e descompensadas, quando  fala, por exemplo, que o futuro da internet será uma ditadura de idiotas, onde muitos participam, mas poucos tem algo a dizer. Que pensamento radical e cheio de mágoa!

Enfim, acho tudo apocaliptico (Keen, Estadão). Não suporto pensamento de fim catastrófico do mundo. Claro que existem blogs e blogues, sites e saites, revistas e Revistas etc. E o consumidor/leitor é o cara que vai decidir com quem perder tempo e dinheiro. Eu fico com o pensamento irônico de Mark Dery. Ele detona os blogueiros que querem se comparar à mídia de massa na disputa pela “verdade” dos fatos. Mas admite que o bacana dos blogs é que o leitor pode entrar na “mente” dos outros e ver o mundo a partir de muitos olhos – o efeito “Quero ser John Malkovich“.   Eu quero ser mais um bando de gente, não necessariamente devo concordar com todo mundo.

7 respostas para eu também quero ser John Malkovich

  1. Panda disse:

    Atualmente quando eu vou nas bancas de revista, sempre fico com a impressão de que to folheando aquelas revistas velhas e com notícias antigas de consultório dentário. Isso sem falar que se for pra me manter “informado” por uma Revista Veja, então eu prefiro me alienar em blogs pornos ou de professores eheheheh
    ————
    Panda, vc falou um nome de revista “séria” (na visão dos incautos) que me dá até coceira pelo corpo todo. Argh!

  2. adri amaral disse:

    ahhhhh
    mark dery é o cara!! e essa campanha do estão é o fim da várzea..rs
    …………………….
    Adri, o pouco que li dele (Dery), gostei bastante da forma de escrever, de apresentar idéias, muito criativo!

  3. juca disse:

    Alê, não resisti e levei à ribalta do Quintérico.
    Bjs

  4. Hermes disse:

    Pulverização da informacao, já.

  5. perfeitoooooooooo ale perfeito!!

  6. Angélica disse:

    Simples, adorei. Você está mais que certo, existem muitos pintores , a maioria de fim de semana, Picasso, Dali são gênios, únicos, mas isso não diminue o mérito e o prazer de quem pinta como hobby e se você tá afim de comprar o azulejo do cara que pinta ali na praça com o dedo, o problema é seu.Você consome o que vc quer!

  7. Pedro Ayres disse:

    Alessandra, que tal pensar na terrível probabilidade de que a famosa originalidade de ser, não é apenas o surrado e comum hábito do egoísmo. Ser irônico não é sinônimo de veraz. Uma ironia pode ter uma base falsa ou não, como diria o Caetano Veloso. A mídia é uma atividade produtiva, com fins lucrativo e propriedade de uns poucos. Ela, gostemos ou não, será sempre o reflexo da vontade desses poucos e no caso dos Estados Unidos, pessoas como o Mark Dery, por fazerem parte do establishment, ao divulgarem uma visão crítica não essencial, mais do que críticos, tornam-se autores do fazimento das idéias e princípios desses poucos.
    Mas, de qualquer maneira, como exercício de retórica e lógica, a ironia às vezes é bem divertida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: